Arquivo da tag: Relacionamento

Os erros do networking

“Dificilmente alguém duvidará da importância estratégica de construir e manter uma rede de contatos sólida, mas, pelo menos no Brasil, muita gente não sabe direito o que fazer com isso. Dessa forma, é normal ver certos erros que não ajudam em nada na carreira – pelo contrário, podem atrapalhar. Confira equívocos comuns e preste atenção para não cair em nenhum deles.

Networking não é só conhecer e ser conhecido. De pouco adianta conhecer um monte de gente e todas essas pessoas saberem seu nome se elas não souberem o que você faz, no que você é bom, qual é o potencial que você tem para determinado cargo ou mesmo nova carreira. Networking é uma rede de contatos profissionais, ou seja, uma teia de relacionamentos onde as pessoas precisam estar cientes do que você faz, seus talentos, conquistas e objetivos.

Manter contato com gente da mesma posição ou nível hierárquico mais baixo. Se você deseja impulsionar sua carreira, não há muito que alguém abaixo de você ou com cargo similar possa fazer. Não é para desprezar essas pessoas – elas devem ser respeitadas como qualquer outra. Entretanto, você vai precisar despertar o interesse e simpatia de quem pode lhe puxar para cima. Aproxime-se de quem pode lhe indicar ou mesmo contratar.

Não considerar networking uma ferramenta fundamental do trabalho. Se você acha que pode crescer sozinho, sem a ajuda ou impulso de ninguém, não está errado, mas certamente terá mais dificuldade para alcançar seus objetivos. Você pode ser um bom profissional se conhecer cada aspecto de sua carreira e saber fazê-lo bem, mas conhecer gente que pode te dar umas dicas aqui e ali, além de poder dar aquele empurrãozinho, é um poderoso catalisador.

Dedicar pouco tempo à rede de contatos. Vamos supor que você tenha algumas pessoas que podem lhe ajudar, mas e se uma sai do país, outra se aposenta e a outra muda de carreira? Já não tem mais tanta gente assim, não é? E se você não tiver investido parte de seu tempo em construir novos relacionamentos, não terá muitas outras opções. Focar no emprego atual é fundamental, mas para ir além é essencial aplicar parte de seu tempo na construção, manutenção e ampliação do seu networking.

Só usar a rede quando precisar dela. O medo de ficar desempregado é tão grande que as pessoas normalmente deixam de lado sua rede de contatos quando têm um contracheque garantido no fim do mês. Não caia nessa armadilha. Mesmo empregado, mantenha proximidade com quem pode lhe abrir portas. Oportunidades devem ser sempre bem vindas e qualquer pessoa tende a querer ajudar os mais próximos.”

 

Fonte: http://www.saladacorporativa.com.br/2013/07/os-erros-do-networking/

Relacionamentos

relacionamentosPara muitas pessoas, relacionamentos não são importantes ou são apenas necessários na vida quando interessam.

Quem pensa em ser advogado e atuar no direito deve pelo menos saber que relacionamentos são a base qualquer ação de marketing jurídico.

Aliás, o melhor marketing que alguém pode fazer é baseado naqueles que o conhecem. Quem conhece, pode atestar que o trabalho, caráter e produção são aqueles que o site diz, que o blog fala, que o folder indica.

Sem este elemento validador, na maioria das vezes temos apenas uma exposição da marca e nada mais.

E relacionamentos iniciam nos âmbitos menores e muitas vezes menos dedicados.

Vejamos um exemplo:

Continuar lendo

Amizade. O que fazer no ambiente corporativo?

amizadeNo dia 20 de Julho comemoramos o dia do amigo.

Uma data para comemorarmos aquele que sempre está ao nosso lado, aquela pessoa que nos ajuda a esquecer as mazelas do dia a dia, aquela pessoa que é tão especial que transborda nosso peito.

No ambiente corporativo, diz-se que temos muitos amigos. Em verdade, temos muitos colegas, alguns aproveitadores e muitos relacionamentos. Amigos, mesmo, são poucos, quiçá nenhum.

Como assim?

Chamamos de amizade um relacionamento que começou no trabalho (havia um interesse comum), com problemas comuns (chefes, colegas, situação, etc) e que fazia festas em conjunto naquele ambiente. Depois, busca-se outras oportunidades e os “amigos” serão outros e assim vai.

Lógico que existem relacionamentos de colegas que evoluem para uma amizade, sem sombra de dúvidas (alguns até para mais do que isto). Só que na maioria das situações, temos colegas e nada além disto.

Dois pontos merecem ser analisados: Visão do funcionário. Visão do líder.

Visão do funcionário

+ Cuidado com o que você diz aos colegas, principalmente no tocante a coisas pessoais.

Continuar lendo