Advocacia moderna? Como assim?

cadeiraTemos visto inúmeras novidades no mercado jurídico.

Novidades que vão da forma de advogar, como o processo eletrônico, até a forma de se vestir, deixando de lado o paletó e a gravata.

Para muitos, modismos – no caso da roupa – para outros, tendências e para outros ainda, realidade.

Estamos reinventando a advocacia, quer queiramos ou não, pois todas as bases tem mudado de forma sistemática.

Até mesmo as leis que antes eram tão óbvias e de senso comum tem se transformado tanto, que advogar é se atualizar diariamente.

Você já pensou em ter no seu escritório uma TV, não é mesmo?

Contudo, pensou nisto para usar como tela para apresentações no computador para clientes… E se fosse para ver TV ou jogar um videogame?

Surreal?

Leia um trecho desta reportagem da Exame.com:

Quando compareceu à entrevista de emprego em um escritório concorrente do seu, o advogado Giovanni Falcetta, de 33 anos, pensou ter se enganado de endereço. As mesas de trabalho eram separadas por baias de vidro e todos trabalhavam no mesmo ambiente.

Seus prováveis futuros colegas estavam vestidos sem formalidade e alguns conversavam animadamente em rodas de bate-papo. Giovanni foi recebido pessoalmente por um dos sócios do escritório e, em seguida, apresentado à sala de descompressão, local dotado de televisor, video game e sofás confortáveis para quem quiser se desestressar durante o expediente.

Expediente, aliás, que poderia ser cumprido em home office, se necessário. Acostumado ao clima formal de escritórios tradicionais de São Paulo, o advogado estranhou a proposta, mas não pensou duas vezes para aceitá-la. “Eu queria mais qualidade de vida e um ambiente menos competitivo, mais acolhedor”, diz.

Falcetta foi contratado pelo Aidar SBZ, criado há dois anos, que ilustra a tendência dos novos escritórios de advocacia de trocar o ar sisudo da área por ambientes despojados, com políticas de RH mais atraentes para os jovens profissionais.

(…)

“Para se destacar, os escritórios mais novos (muitos deles resultantes de cisões de bancas tradicionais) oferecem políticas de remuneração mais atraentes, flexibilidade de horário e de vestuário, treinamento e mais qualidade de vida. E em troca querem um profissional criativo, proativo, capaz de trazer e fidelizar seus clientes. Além, é claro, de ser muito bons na parte técnica” diz Carlos.

Fonte: http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/187/noticias/novos-escritorios-para-novos-tempos

Sala de descompressão? Fala sério!

Não é um ambiente como estamos acostumados.

Para muitos, inclusive, este tipo de abordagem parece falta de trabalho ou libertinagem. Contudo, afirmo categoricamente: Para chegar neste tipo de ambiente tem que ter muita gestão e tecnologia estratégica.

Não há como ter um ambiente mais descontraído se os controles forem poucos, se cada um fizer o que bem entende e se não houver uma hierarquia e respeito gigantes.

Paradoxo, não?

Tanta liberdade e tanto controle.

É assim que funciona. Só assim, funciona.

E parar de pensar que a vida do advogado é processo judicial. A vida do advogado é relacionamento, e por isto, os funcionários são tão importantes, afinal, eles são o relacionamento do negócio com o cliente.

E não apenas os escritórios novos tem visto esta realidade acontecer. Os tradicionais igualmente estão acordando, como podemos ver neste outro trecho da mesma reportagem:

As inovações promovidas pelos novos concorrentes já influenciam o ambiente de trabalho dos escritórios mais tradicionais, como Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados, que conta com um “fun foor”: um andar com mesa de sinuca, televisor, videogame, manicure e massagem.

“É possível ser um escritório grande, com mais de 700 profissionais, e ser moderno, com profissionais criativos, proativos, engajados e satisfeitos com o trabalho”, diz Mario Esequiel, diretor administrativo. Sinal de que as mudanças no jeito de trabalhar dos escritórios vieram para ficar.

E agora? O que fazer?

Primeiro, pare de pensar pequeno: Desde cedo se preocupe com pessoas, estratégias, plano de negócios, marketing jurídico, tecnologia, plano de carreira, enfim, pense em como crescer com as pessoas que tem e que precisa ter.

Depois, analise sistematicamente e todo o tempo as atitudes e o que está acontecendo. Somente com monitoramento e correções se chega ao destino que se quer.

E por fim, mas sem encerrar o assunto, pense sempre no seu negócio, saia da zona de conforto, tire a bunda da cadeira!

É com atitude que se vence na vida, independente das circunstâncias. O resto é pura demagogia.

____________________________________________________

Article by Gustavo Rocha

GestãoAdvBr CEO – Consultancy on the Strategic Management and Technology

Bruke Investimentos CEO – Business, Valuation, M&A, Opportunities, Market Business and more.

Mobile: [51] 8163.3333 |

Contact: gustavo@gestao.adv.br [Mail, Skype, HangOut, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]  |

Web: www.gestao.adv.br | www.bruke.com.br |

Anúncios

Marcado:, ,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s