Sexo e Trabalho

trabalhoVamos deixar claro: Não estamos debatendo o sexo NO trabalho, mas sim sexo E trabalho.

No dia 6/9 (data pra lá de sugestiva) foi comemorado o dia do sexo. Um apelo comercial, concordo. Um apelo nem tão nobre assim, também concordo. Na ocasião, escrevi uma crônica publicada no meu blog pessoal com algumas reflexões.

Agora você leitor pode se perguntar: OK, todo este relato e o que realmente quer dizer sexo E trabalho?

Vamos começar com uma reflexão minha sobre o dia do sexo, onde crio a ideia de 3 pontos fundamentais para o mesmo: Entrega, paradoxo e amor.

Sexo. Um tabu, uma verdade, uma necessidade.

Momento íntimo, único, singular que somente melhora a cada vez que se faz.

Um ato puro de amor.

Óbvio que sexo e amor são diferentes, contudo, sexo com amor é que é realmente diferente.

Sexo por sexo, até cachorro faz. Sexo por amor, somente quem se ama faz.

Não apenas em nome do amor, mas singularmente pela entrega e paradoxo que se propõe.

Entrega, pois cada momento dedicado ao prazer de estar ao lado de quem se ama sentindo a sua química, a sua sagacidade, cumplicidade, verdade, palavras, sussurros, verbos e carícias é um momento bem vivido.

Paradoxo, pois o melhor sexo é aquele em que ao invés de buscarmos o nosso prazer, buscamos o prazer do outro.

Aos nos entregarmos a imaginação de nossa libido de forma pura, verdadeira e sincera – sem pudores pudicas e de falsa moral – e ter como foco o melhor para quem amamos, teremos na reciprocidade e no prazer proporcionado, sexo de qualidade e não quantidade.

Aliás, quantidade em relação a sexo é ilusão. Fazer várias vezes, com a mesma ou mais pessoas em curtos espaços de tempo apenas liberam o mesmo que uma masturbação pode fazer.

Entretanto, um momento desejado, conquistado, com direito a roupas especiais, olhares 43 e palavras que incitem o libido – sejam de muito ou de baixo calão – meu irmão… sai de baixo, porque o barulho é garantido.

Gostou da crônica do blog pessoal? Leia na íntegra: http://blogdogustavorocha.wordpress.com/2013/09/06/cronica-dia-do-sexo-reflexoes/

Percebeu a relação de sexo E trabalho?

Tanto em num como noutro, existe o paradoxo, a entrega e o amor.

Um trabalho verdadeiro inicia com um ato de amor. Como assim?

Se você ama o que faz, nem irá chamar de trabalho. Para muitas pessoas, entretanto, trabalhar é mais que um fardo, é quase uma escravidão.

Levantar cedo, aguentar chefe chato, ter que sempre estudar, nossa, para muitos, o ideal são os 3 F’s: férias, feriados e folgas.

Contudo, quando a atividade que desenvolvemos é aquela que tanto buscamos, sonhamos e estudamos para chegar lá, as questões de acordar cedo, trabalhar até mais tarde ou ter que levar uns sapos no dia a dia se tornam irrelevantes, pois o bem maior existe em nosso coração.

E é por termos o amor naquilo que fazemos que a entrega se torna importante.

Ter entrega no trabalho não quer dizer trabalhar até mais tarde todos os dias. O nome disto é desorganização.

Ter entrega no trabalho não quer dizer ganhar pouco e trabalhar muito. O nome disto é falta de visão (tanto da empresa por assim proceder e do funcionário, por aceitar).

Ter entrega no trabalho não quer dizer defender apenas o que a empresa defende. O nome disto é puxa-saco e falta de opinião própria.

Ter entrega no trabalho é efetivamente defender seu ponto de vista, com ideais de crescimento claro, sempre com foco em resultados melhores através da gestão e tecnologia.

E qual é o paradoxo?

Você trabalha e é remunerado por isto. Se você ama o que faz, se entrega com verdade e dedicação, receber salário é um plus, não é não?

Claro que o trocadilho é uma rima jocosa. Paradoxalmente, ao trabalharmos com mais amor e entrega, temos como conseqüência lógica o resultado financeiro, e se o resultado não aparece, temos que refletir sobre a origem, tanto nossa como da empresa.

A culpa nem sempre é do colaborador e nem sempre é da empresa. Muitas vezes, de ambos. Outras, de uma das partes. Contudo, com afinco, bom senso, paciência, entrega e amor, o paradoxo será justamente receber mais por algo que te dá prazer.

Só não confunda receber mais e ter prazer com pagar para ter prazer… Quando se paga para ter prazer, tanto o prazer de quem paga quanto de quem recebe é limitado.

Na mesma linha de raciocínio, de graça também não pode, pois ambas as partes são lesadas pela gratuidade.

Na vida pessoal, a relação é fruto do amor e sentimento.

Na vida profissional, amor e entrega ao bem maior (profissão) e trabalho com foco em resultados naquela empresa que hoje auxilia no crescimento profissional é o ideal.

Sexo E trabalho, ambos muito bons com amor, entrega e paradoxo.

Então, esperando o quê para viver ambos no seu dia a dia?

#Ficaadica  ;)

______________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha
Sócio da GestãoAdvBr – Consultoria em Gestão e Tecnologia Estratégicas
Sócio da Bruke Investimentos
[+55] [51] 8163.3333 | www.gestao.adv.br | http://www.bruke.com.br
Contato integrado: gustavo@gestao.adv.br [Email, Skype, Gtalk, Twitter, LinkedIn, Facebook, Instagram, Youtube]

Anúncios

Marcado:

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s