[Departamento as quintas] Formigas e você

incio_formigueiroInicialmente, vamos ler esta parábola:

“Você talvez não tenha se preocupado em conhecer o funcionamento de um formigueiro, porém poderia aprender muito sobre organização e produtividade  se resolvesse investir um tempo para saber mais sobre o assunto. 

Vamos a análise: como funciona um formigueiro? Em um formigueiro todas as formigas têm uma função clara e metas estabelecidas. Não é necessário que 
ninguém fique cobrando resultados e produtividade, porque as formigas estão permanentemente motivadas em relação ao que fazem. Não existem greves,operações tartaruga ou formiga de má vontade. 
A base disso é clara, a construção de um ambiente saudável em que se respeita a vocação de cada indivíduo. Gerar, produzir, manter, estocar,proteger e construir. Tudo em prol da rainha (o cliente). 
Será que nossas organizações funcionam assim? Estaremos todos felizes com o que fazemos? Os objetivos estão bem claros e são razoáveis? Cada um tem a 
chance de desenvolver seus talentos? O foco está voltado para o cliente? As lideranças permitem e estimulam a participação e valorizam os resultados? 
Existe um espaço para tentativas de inovação ou se reprime o erro? 
Em um formigueiro tudo isto funciona muito bem. Inclusive a possibilidade de tentar novas estratégias de alimentação e estocagem de acordo com a região do formigueiro, o alimento disponível e o clima. 
Comparativamente com as nossas organizações equivale a dizer que o formigueiro se adapta às condições do mercado, para sobreviver e crescer continuamente. 
Temos que transformar nossas organizações em formigueiros eficazes. E o início de tudo está na vontade dos líderes em construir um novo modelo empresarial, onde os talentos são a matéria-prima, capacidade são meios 
produtivos e fidelidade dos clientes é o resultado final. 
Nesta semana, pense, a natureza tem muito a ensinar. Vamos olhar as nossas volta e aprender com tudo e com todos, inclusive as pequeninas formigas.” 
(Autor desconhecido)

Lendo a parábola, a primeira ideia que temos é de que ela está certa, não é mesmo?

Cada um na sua função, todos com foco no cliente, cada um sabendo o que fazer e como fazer. Ideal, não?

Não há como discordar que os termos são bons e as ideias também. Contudo, pensamentos assim, tão fechados, inibem a criatividade.

Precisamos ter a mente aberta. A função de hoje pode ser outra amanhã.

Precisamos começar a pensar fora da caixa.

Aqueles que ficam sempre na mesma função e são ideais apenas numa função, são cada vez menos úteis nas organizações.

Precisamos de pessoas multidisciplinares. Pessoas que estejam prontas para o que der e vier e queiram desafios.

Antigamente realmente era necessário pessoas como formigas: Bem alinhadas, com funções únicas. Hoje, necessitamos mais. Precisamos determinar as funções de cada colaborador, óbvio. Contudo, o colaborador deve ser noção de tudo, deve poder ser útil em outras funções e deve saber mais do que apenas suas tarefas.

Formigas são excelentes exemplos de como o básico se arruma. Quer ser mais do que o básico?

Faça o tema de casa como as formigas fazem e busque mais conhecimento. Você não verá formigas que produzem defendendo o formigueiro, nem formigas rainhas produzindo. Agora, se quer sucesso profissional terá que ter um pouco de produção, um pouco de defesa do formigueiro e um pouco de formiga rainha.

Pense em como um diretor ou gerente jurídico age: Um pouco de tudo. Se quiser apenas comandar, ele ficará sem emprego. O mesmo vale para assistentes e advogados corporativos e quiçá terceirizados.

Ululante que o cliente (empresa ou cliente final) ser maleável ao mercado é fundamental. Contudo, de nada adianta estes objetivos sem ser maleável na personalidade daquele que trabalha.

Quer fazer a diferença?

Seja uma formiga e evolua, pois mesmo a formiga rainha tem uma função muito específica e no mercado atual seria dizimada por não estar adaptada a ser multidisciplinar e conhecer com clareza solar cada função de cada outra formiga.

 Todas as quintas-feiras publicamos no portal http://www.gestao.adv.br um artigo inédito sobre departamentos jurídicos e seus relacionamentos internos, com escritórios terceirizados e muito mais. Nos acompanhe!

______________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha – Sócio da Consultoria GestaoAdvBr

www.gestao.adv.br  |  gustavo@gestao.adv.br

Anúncios

Marcado:,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s