5 erros das pessoas superprodutivas

O artigo foi originalmente escrito por Amanda Previdelli consultando Fernando Serra, extraí da revista Exame.com.

São cinco questões que realmente passamos no dia a dia e nem sempre agimos da forma adequada.

Abaixo de cada item, alguns comentários pessoais.

1. Achar que a internet só ajuda

Por mais que mobilidade seja importante, muitas vezes os gadgets atrapalham sua produção no trabalho. “A tecnologia era um meio que acabou, em muitos casos, se tornando um fim”, diz Serra. As interrupções que as notificações do seu celular causam acabam fazendo com que as pessoas percam a concentração – e percam tempo.

E não só tempo no trabalho é desperdiçado, a tecnologia acaba se infiltrando até nos momentos de lazer. “Tecnologia é um instrumento, mas é preciso tomar cuidado”, fala o especialista.

Sempre afirmei e afirmo: A tecnologia somente pode ser boa se for útil. Ter tecnologia pra bonito ou simplesmente porque outros têm, não compensa, somente atrapalha.

2. Esticar o tempo no trabalho

Esse é um dos maiores mitos na produtividade: o de que muitas horas trabalhadas equivalem a muito trabalho feito. Não é bem assim. “Primeiro a pessoa tem de dormir. Cada um tem seu horário, mas ao menos umas seis horas por dia. É importante”, determina Serra.

O raciocínio do especialista é bem lógico: quem dorme pouco durante a semana, acaba ficando extremamente improdutivo na sexta-feira. Aí de que adianta passar 12 horas por dia no escritório se, em um ou dois dias na semana, você está tão distraído e cansado que mal consegue trabalhar?

E não é só o sono que é importante: todo mundo precisa de um tempo de reflexão e descanso – independente da atividade (não-profissional) que escolher.

Com absoluta certeza: Se você fica focado no seu trabalho não há necessidade de ficar todos os dias fazendo serão. Caso aconteça isto todos os dias, com o tempo, você vai perdendo produtividade, pois vai considerar que o seu horário de trabalho vai até mais tarde, ou incluindo finais de semana. Cada coisa tem seu tempo, tempo para trabalho, tempo para lazer.

3. Abusar do multitasking

É bem verdade que não é fácil se concentrar em uma única tarefa. A maioria das pessoas faz ao menos duas coisas ao mesmo tempo (escuta música enquanto trabalha, toca dois projetos ao mesmo tempo ou almoça enquanto lê o jornal, por exemplo). Isso é fato, é comum e não é problemático.

“O problema existe quando a pessoa não percebe que nem toda a tarefa pode ser feita em concomitância com outra, ou não impõe limites para quantas atividades vão ser feitas ao mesmo tempo”, diz Serra. Para ele, quem não tem foco acaba não concluindo (ou concluindo mal) as tarefas que começa.

Como diria a música da Legião Urbana: Sempre faço mil coisas ao mesmo tempo… (já escrevi sobre isto: http://gestao.adv.br/index.php/sempre-faco-mil-coisas-ao-mesmo-tempo/ ) O importante é não perder o foco dos prazos e importâncias de cada coisa a ser feita.

4. Não saber delegar

Pessoas superprodutivas têm problemas com isso. Muitos problemas. Quem gosta de trabalhar, assumir responsabilidades e produzir o máximo não raro prefere fazer tudo sozinho, sem delegar tarefas a ninguém. Isso é um problema por vários motivos.

Primeiro é que a maior parte das pessoas depende das tarefas e decisões que você vai tomar e cumprir de maneira solitária. Em segundo lugar, trabalho em grupo faz parte de um escritório e não saber se relacionar é um ponto negativo no seu currículo.

Fernando Serra ainda completa: “As pessoas precisam conhecer suas limitações e perceber que tem coisas que outros colegas poderiam fazer melhor”.

Concordo integralmente com ele. Cada um deve fazer o que faz de melhor, assim a empresa ganha com a totalidade dos bons trabalhos desenvolvidos.

5. Acreditar que tudo tem de ser começado e terminado rapidamente

“Sem dúvida procrastinar é ruim, mas algumas tarefas não podem ser iniciadas de pronto”, conta Serra. Para ele, as pessoas superprodutivas precisam aprender a priorizar projetos. Além disso, precisam se organizar para as tarefas que, de acordo com o especialista, “têm um timing”.

“Não adianta forçar, alguns projetos têm calendários diferentes e não podem ser iniciados nem terminados de imediato”, diz Serra. (Fonte geral dos erros: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/5-erros-das-pessoas-superprodutivas?page=1)

Outra situação comum: Produtividade não se mede apenas pelo tempo. Um recurso especial demora mais que uma réplica, isto é natural. Fazer 30 contestações padronizadas em um dia é produtividade, mas também o é produzir apenas uma contestação numa ação rural, por exemplo, com muitas matérias fáticas.

Enfim,

São cinco erros que podem ser cinco acertos se bem aplicados, certo?

______________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha – Sócio da Consultoria GestaoAdvBr

www.gestao.adv.br  |  gustavo@gestao.adv.br

Anúncios

Marcado:,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s