[Semana da Polliana] Pássaros em V… por quê ser o líder?

Na semana do dia da mulher, uma semana inteira de artigos femininos. Durante esta semana, deliciem-se com artigos de Polliana Giraldello:

Você já observou pássaros voando em forma de V?

Isso ocorre para que os demais enfrentem menor resistência do ar, facilitando o voo, que ocorre de forma mais rápida e menos cansativa para o bando.

O verdadeiro líder tem consciência que estar na frente é necessitar de mais preparo para enfrentar intempéries maiores que os demais pássaros do bando por determinado tempo. Sim, por determinado tempo, em virtude de que a revoada geralmente faz “escalas ou turnos”, onde o líder do bando, que fica no vértice do “V” facilitando o voo para os demais, no escopo de garantir que todos os pássaros sigam seu destino juntos, dividindo os esforços durante a jornada, também possa dividir o fardo de estar na posição principal.

Dessa forma denota-se como a natureza é sábia, pois em algum momento, todos os pássaros terão tido a oportunidade de atuarem como líder do bando e, consequentemente, todos os líderes serão ultrapassados, cedendo seu espaço para outro pássaro até que chegue a sua vez de assumir o bando novamente.

Quando uma empresa é constituída, geralmente a expectativa de início é alterada no meio do percurso, seja pelo sucesso ou falhas durante o percurso.

É comum ver empresas que surgiram de forma despretensiosa tornarem-se potências, ofuscando a concorrência e destacando-se em seus nichos de mercado.

Os caminhos que definem os vencedores são longos e tem diversas razões, além do tempo e espaço que ocupam. Empresas que são referências hoje, amanhã poderão não mais existir, deixando não só a liderança, mas como todo o mercado.

Uma forma eficaz de uma empresa permanecer na liderança é fazer com que o consumidor se identifique com a marca, criando conceitos subjetivos e estabelecendo um vínculo de admiração constante, mas não imutável e jamais inquestionável. Quem não se lembra do Omo, usado como sinônimo de sabão em pó, o Bombril como palha de aço e a Maisena como amido de milho? Ainda hoje, apesar do tempo decorrido, das inovações em termos de concorrentes, as empresas detentoras desses produtos continuam no mercado, apesar de haverem “n” marcas/produtos similares ou “genéricos”.

Ainda que sejam tomadas medidas positivas e a empresa líder permaneça no ápice, em algum momento surge o imprevisto: a estrutura se abala, as estratégias necessitam ser revistas, as correções nem sempre são suficientes e em certo ponto, tudo o que um dia era concreto e sólido, pode desmoronar.

Heráclito teorizava que ninguém jamais poderá banhar-se no mesmo rio duas vezes: tudo é etéreo e um dia tudo o que somos e onde estamos, fatalmente o deixará de ser.

Se sua empresa é líder, certamente, um dia, deixará de ser… se hoje não é expressiva, amanhã poderá ser diferente.

Como então se precaver e tomar medidas infalíveis para que sua empresa siga sempre na liderança?

Não existem fórmulas mágicas e esse não deveria ser seu escopo.

Seu empenho deveria estar voltado para a realidade com vistas ao futuro.

Por mais que se trabalhe, empenhe e tenha a melhor administração, o imprevisto sempre existirá e em algum momento sua empresa certamente perderá a liderança, ainda que isso leve séculos…

Não se trata pessimismo ou fazer com que você deixe de acreditar no potencial de seus negócios, mas sim de não fazer disso uma obsessão, estabelecendo metas mais importantes e priorizando um caminho com um foco permanente. Afinal, o que é mais importante: “tentar” manter a liderança ou “garantir” a permanência no mercado?

Sua empresa, sua gestão, seu trabalho sempre podem ser aperfeiçoados, crescerem permanentemente, serem trabalhadas de maneira exemplar, aperfeiçoando-se, ajustando-se, acertando os pontos falhos e fazendo da observação do mercado e da concorrência uma prática e não uma grande sombra que te impedirá de enxergar mais além. Nesse caso, o além, é você próprio.

Você é quem é pelo que faz, pelo diferencial que oferece, não por ser líder em seu segmento.

Empresas administradas com parcimônia são referências em seus mercados, conquistam o respeito da concorrência, dos consumidores, dos estudantes, se enraízam, colhem frutos, refletem-se na sociedade onde estão inseridas, ainda que não sejam líderes e não tenham ampla visibilidade.

Almeje crescer sempre, melhorar constantemente, mas tenha a convicção que a vitória está dentro dos caminhos que você está trilhando, nas entranhas de suas estruturas, nos benefícios reais que cria e no percurso que apenas você desenhou.

  • Sua empresa é um case de sucesso?

 

  • Os funcionários vestem a camisa quando falam do seu local de trabalho?

 

  • Vai além do simples existir?

 

Independentemente do fato de ser ou não o líder, busque ser um diferencial positivo, prepare alicerces sólidos para um crescimento constante, sem preocupar-se com o paralelo, com os concorrentes, com comparativos ou adversários implacáveis.

A chave para o sucesso é pessoal e intransferível, a tua oportunidade é única, outro jamais encontrará.

Saber descansar na hora certa para que outro pássaro tome a liderança é uma estratégia natural e prudente, ainda que momentânea, para os que almejam um voo tranquilo, ascendente e sem tantos desgastes.

Lembre-se sempre: a trajetória de sucesso é uma linha reta que se faz mirando o horizonte, não os lados.

 

Anúncios

Marcado:, ,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s