Objetivos ou Desejos?

Uma inquietante frase de Washington Irving (historiador, escritor do Século XIX):

“Great minds have purposes; others have wishes.”  (Grandes mentes tem propósitos; outras, tem desejos).

Impossível deixar de pensar no porque da diferença entre objetivos e desejos. Parece que ao desejarmos algo estamos tendo objetivos e ao termos objetivos, estes são objetos também do nosso desejo.

Ah! Sutileza e a simplicidade. Dois adjetivos difíceis de se conquistar.

Ao afirmar que devemos ter propósitos, Irving está demonstrando claramente que precisamos usar a nossa razão em primeiro lugar. Em segundo, devemos planejar, senão do que adianta ter propósitos? Em terceiro, devemos realizar aquilo que foi proposto e planejado.

Ou seja, em três atos temos um caminho realizado: Propor, planejar e executar.

E se tivéssemos desejos ao invés de propósitos?

O desejo vem do nosso eu interior, vem daquilo que esperamos que aconteça, tem relação com destino, horóscopo, mudança de humor e por aí vai.

Hoje posso desejar emagrecer, mas se não parar de comer porcarias, ou seja, se criar propósitos, não terei como realizar o meu desejo.

Infelizmente encontramos muitas pessoas no mercado que apenas sonham.

Sonham em ficar ricas, mas chega as 18h estão com computadores desligados e correndo para casa ir assistir a novela das 19h;

Sonham em ter saúde, mas não dispensam um mac ou bebidas alcoólicas com freqüência;

Sonham em ser felizes, mas sequer dedicam algum tempo para si mesmos;

Em suma, são apenas sonhos, desejos que não tem como se realizarem, justamente pela falta de planejamento.

Porque algumas pessoas agem assim? Porque sonhar não custa nada?

Talvez, mas também porque ter um propósito não é fácil. Depois de buscar o propósito, tem que planejar, executar, monitorar (leia sobre o PDCA).

Ter um propósito não é querer apenas o resultado, é ter um objetivo concreto. Por exemplo, ter dinheiro não é um propósito, é um resultado. Propósitos são elementos a serem alcançados através do seu próprio esforço, conduta, ação, com metas definidas, ou seja, com prazos.

De nada adianta um propósito de mudar de emprego ou ter um aumento, por exemplo, se não houverem elementos que façam isto acontecer. Deixe o destino e a sorte para os desejos.

Como andam seus propósitos? E os seus desejos?

Eles fazem toda a diferença no resultado de suas ações!

______________________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha – Diretor da Consultoria GestaoAdvBr
http://www.gestao.adv.br gustavo@gestao.adv.br

 

Anúncios

Marcado:,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s