Leão, herbívoros e foco corporativo

Li um artigo de Antonio Lazarini sobre foco muito interessante, pois traça um compartivo sobre Leão, herbívoros e o foco. Leia na íntegra o artigo aqui.

Separo uma parte bem interessante do artigo para logo após comenta-lo.

Uma das estratégias mais interessantes é a utilizada pelas leoas na caça aos herbívoros, os veadinhos. Elas escolhem muito bem o animal que será atacado, visto que seu objetivo é perseguir uma presa e obter sucesso na empreitada. Assim sendo, o alvo são os indivíduos mais novos, ou mais velhos ou algum que esteja doente. Por que esta escolha? A resposta parece óbvia. Este grupo de animais é o que apresenta maior possibilidade de sucesso quando do ataque. Novos, velhos ou doentes têm menor possibilidade de correr e fugir.
Se os escolhidos fossem os fortes, vigorosos e na plenitude de suas forças, elas veriam suas possibilidades de sucesso serem reduzidas drasticamente. Outro aspecto interessante é que, feita a escolha, elas perseguem apenas o escolhido, sem se importarem com os demais. É o foco no objetivo. Se, ao contrário, não focassem em apenas um, ficariam correndo em ziguezague, ora atrás de um, ora atrás de outro. No fim, todos fugiriam e as chances de obter um almoço, ou jantar, seriam eliminadas.
O mundo das empresas, e por que não dizer, das pessoas, tem muito a ver com o mundo das leoas e demais predadores. Guardadas as devidas proporções, caçador e caça podem ser vistos pelas ruas, nas empresas e nos lares por este mundo afora. É o vendedor buscando clientes para seus produtos, é o empreendedor buscando um parceiro para um novo negócio ou até um simples empregado que tenta “vender” uma nova idéia para os colegas e chefes. A diferença entre o sucesso e o fracasso, certamente, terá muito mais a ver com a estratégia adotada, do que com a tão desejada sorte.
Quando se tem a necessidade de levar adiante um projeto, seja ele qual for, a estratégia a ser adotada, bem como a sua execução, serão as maiores responsáveis pelo já mencionado sucesso ou fracasso da iniciativa.

Assim sendo, a escolha da pessoa certa a ser “caçada” é um fator vital. Neste caso, devemos buscar aquela com a qual temos facilidade de nos relacionar, aquela que já sabemos que tem uma tendência a ver com bons olhos as nossas propostas e assim por diante. Esta seleção deverá ser bastante estudada e a decisão final não deve ser apressada.
Assim como as leoas, não podemos ficar trocando de “veadinho” a todo o momento, pois ficaremos correndo em ziguezague e o resultado já é conhecido. O foco é um aspecto que nunca pode ser esquecido e a escolha da pessoa certa fará toda a diferença. Portanto, a menos em casos especiais, não devemos ter pressa, como dito. Devemos estudar muito bem quem é esta pessoa, para que o “bote” seja certeiro. Com esta “presa” nas mãos, isto é, com a pessoa convencida a respeito da nossa proposta, ela se tornará um aliado e as chances do projeto emplacar começam a crescer. Então é chegada a hora de se buscar o segundo aliado, ou seja, mais um “veadinho” para aumentar o nosso rebanho. E, na medida em que ele cresce, o projeto tende a se consolidar e ganhar corpo e espaço, reduzindo as possibilidades de fracasso.
Os mais afoitos poderiam dizer que este processo requer um tempo maior e que nem sempre este tempo está disponível. Isto também é verdade. Mas a questão que se coloca não deve ser esta. O que deve ser levado em conta é a taxa de sucesso. De que adianta gastar pouco tempo nos projetos, mas não os ver frutificar? Lembremos que as leoas ficam horas observando a sua eventual presa. É bem provável que se saíssem correndo atrás da primeira que avistassem, logo estariam sem energia para perseguir aquelas sobre as quais teriam reais chances de conseguir uma refeição.

Parece muito lógico a escolha dos leões: Primeiro definem um foco. Depois passam para análise/estratégia deste foco. Depois agem com vontade, atitude. As chances de fracasso são mínimas!

Quais elementos estão envolvidos?

Foco;

Análise/estratégia do foco;

Ação com vontade/atitude;

Três elementos que levam ao sucesso.

Seu planejamento estratégico e plano de ação para 2012 tem estes elementos em seu bojo?

Não?

Cuidado, como diz o ditado, quando o sol nasce, seja você leão ou gazela o recado é um só: é hora de correr!

______________________________________________
Artigo escrito por Gustavo Rocha – Diretor da Consultoria GestaoAdvBr
http://www.gestao.adv.br gustavo@gestao.adv.br

Anúncios

Marcado:,

Um pensamento sobre “Leão, herbívoros e foco corporativo

  1. Lacey 13 de junho de 2012 às 9:53 Reply

    Seria um me1ximo mesmo se todos os homens rscnoheceseem ou ao menos admitissem o fato de as mulheres serem criaturas especiais de Deus.No sentido de ser mil e uma utilidades.Ser mulher,jovem,esposa,dona de casa,profissional,estudante,serva de Deus,e se virar nos 30 para agradar aquele a quem ama.Com toda certeza ne3o e9 atoa que Deus em sua palavra diz que conta cada le1grima de uma mulher Ele o nosso Deus sabe que nos criou fortes e ao mesmo tempo sensedveis.Sabemos que a mulher tem um geito todo especial,e consegue aguentar e passar por cima de muitas coisas para buscar fazer as pessoas ao seu redor feliz.Que todas nf3s possamos ser dignas de serem chamadas de Mulher Virtuosa e que isso possa fazer com que os homens nos admirem mais e que assim sendo eles se tornem criaturas admire1veis.Valeu pastor!Por mais uma vez dedicar suas palavras para falar e descrever as mulheres,somos gratas por isso!Abrae7e3o!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s