Matar ou amar o leão?

Não se preocupe, não estamos divagando sobre seu amor ou ódio da receita federal. O título refere-se ao texto de Pierre Schurmann que ensina que ao invés de matar um leão por dia, deveríamos amar o nosso leão do dia.

Como assim?

Normalmente executivos, profissionais, entre outros afirmam categoricamente: Ou matamos um leão por dia ou não conseguimos sobreviver.

Tal expressão refere-se as dificuldades do dia a dia, dos problemas com clientes, chefes, fornecedores, enfim, com os problemas da vida.

Não é simples viver, não é simples ser bem sucedido, não é simples matar um leão por dia. Mas, é necessário para o sucesso.

Divido com vocês partes do artigo citado, o mesmo pode ser lido na íntegra aqui.

“(…) Pois é. Empresário, hoje, tem de matar um leão por dia”.
Sua resposta, rápida e afiada, foi:
“Não mate seu leão. Você deveria mesmo era cuidar dele”.
Fiquei surpreso com a resposta e ele provavelmente deve ter notado minha surpresa, pois me disse:
“Deixe-me lhe contar uma história que quero compartilhar com você”.
Segue mais ou menos o que consegui lembrar da conversa:
“Existe um ditado popular antigo que diz que temos de ‘matar um leão por dia’.
E por muitos anos, eu acreditei nisso, e acordava todos os dias querendo encontrar o tal leão.
A vida foi passando e muitas vezes me vi repetindo essa frase.
Quando cheguei aos 50 anos, meus negócios já tinham crescido e precisava trabalhar um pouco menos, mas sempre me lembrava do tal leão.
Afinal, quem não se preocupa quando tem de matar um deles por dia?
Pois bem. Cheguei aos meus 60 e decidi que era hora de meus filhos começarem a tocar a firma.
Mas qual não foi minha surpresa ao ver que nenhum dos três estava preparado!
A cada desafio que enfrentavam, parecia que iam desmoronar emocionalmente.
Para minha tristeza, tive de voltar à frente dos negócios, até conseguir contratar o Paulo, que hoje é nosso diretor geral. (…)

Ele, olhando para o horizonte, como que tentando buscar um passado distante, me disse:
“É, pode ser que a culpa não seja cem por cento do leão, mas fica mais fácil justificar dessa forma.
Porque, desde quando meus filhos eram pequenos, dei tudo para eles. Uma educação excelente, oportunidade de morar no exterior, estágio em empresas de amigos.
Mas, ao dar tudo a eles, esqueci de dar um leão para cada, que era o mais importante.
Meu jovem, aprendi que somos o resultado de nossos desafios.
A capacidade de luta que há em você, precisa de adversidades para revelar-se.
Com grandes desafios, nos tornamos grandes. Com pequenos desafios, nos tornamos pequenos.
Aprendi que, quanto mais bravo o leão, mais gratos temos de ser.
Por isso, aprendi a não só respeitar o leão, mas a admirá-lo e a gostar dele.
A metáfora é importante, mas errônea: não devemos matar um leão por dia, mas sim cuidar do nosso.
Porque o dia em que o leão, em nossas vidas morre, começamos a morrer junto com ele…”

Ninguém passa na vida sem desafios. As pessoas tem a tendência de se acomodarem aonde é mais tranquilo, calmo… Está trabalhando na mesma empresa por 10 anos? O que faz você ficar aí? Salário? Ou existem desafios que você já não quer enfrentar?

Leões existem em todas as empresas, quer pequenas, quer grandes.

Você sabe o leão que enfrenta? Ou finge que ele não existe?

Cuide-se com o leão da sua empresa e com a receita federal. Ambos não esquecerão de você!

______________________________________________
Artigo escrito por Gustavo Rocha – Diretor da Consultoria GestaoAdvBr
http://www.gestao.adv.br gustavo@gestao.adv.br

Anúncios

Marcado:,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s