Amizade ou trabalho?

Hoje, 20 de Julho, é dia do amigo.

Uma data pra lá de especial. Aniversário do amigo, irmão e companheiro Pedro Lagomarcino, data que sempre rende homenagens aos amigos, eternos amigos.

Há um texto que considero belíssimo e verdadeiro nesta data, escrito por Paulo Sant`Ana, leia aqui.

Uma reflexão é fundamental nesta data: Podemos ser amigos no trabalho e nos negócios?

Ser amigo e ter amigos é fundamental na existência do ser humano. Impossível dizer que não irá acontecer nos negócios e no trabalho. Alguns cuidados são fundamentais.

No trabalho

Fazer amizades é maravilhoso, todavia, segregar pessoas em prol de amizades é que – além de ser um erro estratégico – é um erro crasso no trabalho.

Muitas pessoas vivem em verdadeiros feudos dentro do trabalho. Conversam apenas com seus feudos, querem saber do trabalho apenas do seu feudo e esquecem que a empresa é uma só. A própria empresa, ao perceber tal atitude, nada faz de agregador e contribui para esta triste realidade se perpetuar.

Seminários de integração, reuniões com toda equipe, enfim, promover que todas as pessoas do escritório se conheçam é essencial.

Ao conhecer uma outra pessoa criamos empatia e no mínimo queremos ela bem. Isto fará com que nenhum funcionário queira prejudicar outro (pelo menos no início), dando mais harmonia e satisfação a todos.

Ter amigos, cultivar boas relações é salutar e pode ser uma excelente fonte de negócios.

Nos negócios

Se você é bem sucedido nos negócios certamente você tem bons amigos e boas relações/contatos. No universo corporativo atual, negócios são feitos conforme as relações que temos ou que podemos atingir.

A ideia do tipo orkut: Quem você conhece? Do facebook de integrar todos em grupos de amigos e do próprio Google + com seus círculos de relacionamentos são um resumo daquilo que na vida real presenciamos: Vivemos em prol de nossos amigos, conhecidos, colegas, parceiros de negócios.

Você pode achar isto um problema, mas não precisa ser. Nem todo parceiro de negócio é amigo, mas todo amigo pode/poderia/deveria ser um parceiro de negócios.

Porque?

Porque temos confiança, respeito, amizade, porque não dividir negócios, dinheiro e crescimento profissional?

Não precisamos acabar com a amizade para fazer negócios juntos. Mas, precisamos ter mais cautela quando somos amigos, pois na hora do erro, do vacilo, temos que cobrar como se fosse um parceiro de negócios e não deixar passar porque é nosso amigo.

Podemos ter amigos no trabalho e nos negócios?

Óbvio! Precisamos é de cautela e visão para que amigos sejam amigos e negócios sejam negócios!

______________________________________________
Artigo escrito por Gustavo Rocha – Diretor da Consultoria GestaoAdvBr
http://www.gestao.adv.br gustavo@gestao.adv.br

Anúncios

Marcado:,

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s