Caos e Estrelas

“Eu quero criar um caos em você, porque do caos é que nascem estrelas”. Friedrich Nietzsche

Poético, não?

Mas muito além de poético, verdadeiro e empresarial.

Como assim? Você pode se questionar. Afinal, estrelas e caos são matérias da física e não da administração, certo? Ou será?

Vejamos:

Para nascer uma estrela na física temos o que é chamado de fusão nuclear. Ou seja, dois núcleos se encontram e geram maior energia que ficará assim até esfriar e começar a explodir em camadas até mais nada restar… (leia mais tecnicamente aqui)

Na poesia, temos o caos como algo criativo, como a quebra do óbvio, como o nascimento do melhor que há na pessoa diante da negativa dos padrões anteriormente ditados.

Inegavelmente que a parte poética serve no universo empresarial como criatividade e inovação.

Ao nos despojarmos das amarras anteriormente criadas, podemos observar nossos processos internos de uma forma melhor e mais criativa.

Muito importante seguir esta ideia.

Neste mesmo diapasão, a parte da física também é fundamental no dia a dia das empresas.

Ao fazermos uma fusão nuclear, pegamos dois núcleos e unimos, dando uma energia que dura bilhões de anos.

Vamos pensar empresarialmente: Quem seriam os núcleos? Como uní-los para dar energia?

Já começou a clarear a ideia, não?

Precisamos estabelecer quem são (pessoas, departamentos) que são chaves/importantes/fundamentais para se unirem a outras pessoas ou departamentos da mesma qualidade.

O objetivo desta união é justamente a produção de mais energia, ou seja, de uma questão técnica e potencialmente economica melhor.

Devemos, igualmente, estar sempre atentos a fissão nuclear, que é o oposto, quer dizer, a saída de um núcleo. Isto produz energia, mas não do modo que queremos dentro da empresa.

Precisamos do caos criativo, precisamos de estrelas forjadas com união das pessoas e departamentos em prol de um universo corporativo melhor e mais inteligente…

E, lógico, no caso de um dos núcleos querer fazer sua fusão noutra empresa, causando uma fissão na nossa empresa, precisamos aprender a controlar esta energia que vai embora, trazendo benefícios e não prejuízos. É neste molde que funcionam as usinas nucleares. Leia mais aqui.

Assim como na física, as empresas precisam estar atentas as mudanças do universo para que existam mais estrelas do que buracos negros…

E no seu universo? Como vão as estrelas?

_______________________________________

Artigo escrito por Gustavo Rocha – Diretor da Consultoria GestaoAdvBr
http://www.gestao.adv.br | blog.gestao.adv.br | gustavo@gestao.adv.br

Anúncios

Marcado:,

Um pensamento sobre “Caos e Estrelas

  1. occupational therapy 31 de dezembro de 2010 às 20:49 Reply

    this post is very usefull thx!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s